Curieuse Island

Localizada a menos de um quilômetro da costa norte de Praslin, Curieuse é uma ilha de origem granítica relativamente pequena, mas muito especial. Tartarugas-gigantes, manguezais e belos fundos marinhos são alguns dos atrativos guardados para seus visitantes.

Olhando ao passado

Originalmente conhecida como "Ile Rouge" por causa de sua superfície de cor avermelhada, a ilha mudou seu nome com a chegada de uma escuna francesa chamada “La Curieuse”. A presença humana foi notada rapidamente, já que a população nativa de tartarugas-gigantes que vivia na ilha foi exterminada.

No ano 1771, os marinheiros decidiram colocar fogo na ilha para facilitar a coleta dos cocos, o que destruiu boa parte das árvores nativas da ilha e deixou uma marca indelével que ainda pode ser vista centenas de anos depois.

Entre 1829 e 1965, a ilha foi utilizada como colônia para leprosos e, dois anos depois, um terrível incêndio voltou a devastar a ilha antes mesmo da recuperação do anterior. Após isso, o governo resolveu atuar para protegê-la e tornou a ilha e as águas próximas no Parque Nacional Marino de Curieuse.

Um passeio por Curieuse

Atualmente, Curieuse é um atrativo destino em que se podem ver centenas de tartarugas-gigantes de Aldabra com que repovoaram a ilha. Há também as peculiares palmeiras do Coco-do-Mar (ícone cultural das Seychelles), que só se encontram em Curieuse e na Reserva natural de Vallée de Mai.

A ilha conta com um museu sobre ecologia e história da ilha conhecido como “Doctor House”, localizado em uma grande vila colonial restaurada que constitui um interessante exemplo da arquitetura colonial e crioula.

É importante levar em conta que a ilha não conta com nenhuma loja nem restaurante; por isso, é recomendável levar comida e bebida para a excursão.